Gim tônica

Iônica

Gim pra mim sempre teve cheiro e gosto de perfume. Até a garrafa parece de perfume. É só diminuir o tamanho, colocar um spray, já era, perfume. Daqueles cítricos, que "prolongam a sensação de bem estar do pós-banho (ou do after shave) por muito mais tempo". Mas, se as gentes gostam, eu respeito, que já bebi coisas bem piores.
Acho beber gim tônica um negócio bem chique. Tem todo um charme que vai das rodelinhas de limão até à rainha mãe, Elisabeth, que morreu com 101 anos e se amarrava nesse drinque. O Hemingway adorava gim tônica. Bom, o Hemingway adorava qualquer coisa que tivesse um teor alcóolico maior que 2%, mas sem dúvida ele adorava um ginzinho. No 'As Ilhas da Corrente', só um dos exemplos, tem aquela 'cena' clássica:
"- Seu Tom, o senhor não quer nada? - perguntou-lhe Joseph, o criado. - Tirou o dia de folga, né? (...)
- Obrigado, Joseph. Acho que não quero nada.
- Nem um pouco de gim tônica?
- Não. Acho que vou lá embaixo tomar um no bar do Seu Bobby.
- Tome um aqui. Sai mais barato. (...)
- É melhor eu ir até lá.
- Deixe eu lhe preparar um antes. (...)
- Tá certo.
- Que bom - disse Joseph. - Porque já está preparado."
O moço tem um criado para lhe fazer gim tônica e insistir que ele beba ante de ir ao bar, tomar mais gim tônica. Sem comentários.
Um pouquinho de história etílica: o gim foi fabricado pela primeira ver no século XVII, por um médico holandês chamado Franciscus de La Boe. Diz a lenda que o Franciscus andava buscando um remédio barato para curar a febre amarela. Aí ele misturava álcool de cereais (que coincidentemente também serve para fazer perfume) com zimbro, uma planta da família da pináceas muito usada pelos médicos na época. Quem resolveu beber isso não se sabe. Um doido, claro.
O gim é destilado duas vezes, pra ficar bem limpinho, e a segunda destilação é feita na presença do tal zimbro e de substâncias vegetais aromáticas, como raízes de alcaçuz e cascas de limão e laranja, canela e erva-doce. O nome vem de ginepro, que é zimbro em italiano. Chique a valer.
Com o tempo, o gim cresceu e virou inglês. Por isso a rainha mãe curtia. Ele foi levado da Holanda para a Inglaterra por soldados do Exército que retornavam do combate nos Países Baixos. Por ser seco e cheiroso, agrada, e entra na composição de vários drinques, incluindo o famoso Dry Martini.
O gim tônica é, então, um drinque gostoso e cool. Gostou? Eu bem tenho uns amigos muy refinados que volta e meia se embriagam de tantos. Também ficou com vontade? Faz um. A receita clássica diz que são 2 doses de tônica com uma de gim. Misture os dois com gelo e umas rodelas de limão num copo long drink, sem bater. Já os meus amigos fazem assim: põem o gelo no copo, espremem meio limão (de preferência um com bastante caldo), colocam o gim e vão derrubando a água tônica bem devagarzinho. Pra beber lendo Hemingway. Diversão garantida. E pronto.

Publicado em O Boteco

Nenhum comentário: