Brigadeiro


"Vote no Brigadeiro, que é bonito e solteiro". Acredite ou não, isso já foi campanha política. Em 1945. Claro que o candidato, o Brigadeiro Eduardo Gomes, não ganhou. Perdeu pro Marechal Eurico Gaspar Dutra, que não era nem bonito e nem solteiro, mas virou presidente. Mas Eduardo nos deixou um legado que até hoje nos enche de desejo e culpa, um poço infindável das tentações, que, a exemplo do que disse Oscar Wilde, a gente só vence se ceder. Falamos aqui do brigadeiro, o gostoso docinho marrom e bonito, envolto em granulados de chocolate, que acrescenta umas mil calorias em qualquer cardápio, mas que a quantidade diária recomendada é infinita.


O nome da delícia é esse porque as moças da época, todas apaixonadas pelo Brigadeiro (o homem, não o doce), vendiam o chamado "docinho do brigadeiro" para bancar a campanha do então candidato à Presidência da República. E qualquer um sabe que misturar leite condensado, manteiga e chocolate não podia mesmo ser ruim.
Pra mim, a maldade do doce é que, além de gostoso, ele é fácil demais de fazer, o que aumenta a vontade. É só jogar tudo numa panela e mexer até a mistura soltar do fundo. Aí come. Moleza. Ou, maravilha tecnológica, colocá-lo no microondas, que já possui até uma tecla específica, e, em cerca de 7 minutos, ter tudo pronto para devorar.
Comer brigadeiro me traz muitas lembranças boas. Eu e umas amigas que eu gosto muito temos um interessante ritual, cuja idéia é o ancestral da confraria da comida: a reunião comidal. E o prato principal da reunião é sempre PI, Palha Italiana, que na verdade nada mais é que um monte de brigadeiro misturado com biscoito amassado. Quando faltava o biscoito, valia mesmo era o doce, comido de colher, junto com muita coca light. E já rolavam mil fofocas, histórias loucas que ninguém acha graça, só a gente mesmo. Diferente da maioria das pessoas, brigadeiro não me lembra infância, me lembra adolescência, essas coisa de juntar as amigas e falar falar falar.
Era só o que me faltava: doce com memória. Não bastasse o chocolate estimular a produção de serotonina, que gera uma sensação de bem-estar, o que dá vontade de comer sempre e até vicia, o doce que contém mais chocolate que existe me traz lembranças boas. Eu até tento parar de comer, mas é mais forte que eu. Ei, alguém tem um brigadeirinho aí? Só mais um, vai. Eu prometo que é o último...

Receita no Basílico

Publicado em O Boteco

Um comentário:

joana pellerano disse...

Receita de brigadeiro de microondasIngredientes:
1 lata de leite condensado
1 colher (sopa) de manteiga
4 colheres (sopa) de chocolate, em pó


Modo de preparo:
1. Coloque todos os ingredientes num recipiente refratário e mexa com uma colher.
2. Leve o recipiente ao microondas e deixe cozinhar por 6 minutos em potência alta. A cada 2 minutos, abra o microondas, retire a travessa e mexa o brigadeiro, com uma colher, até ficar homogêneo.
3. Retire o brigadeiro do microondas, espere esfriar e sirva a seguir.