A mesa voadora

Da boca pra dentro

Para ler Luis Fernando Veríssimo em público é sempre necessária uma certa dose de sem-vergonhice, no sentido mais cru da palavra. Isso porque é inevitável soltar um risinho a cada 10-15 minutos de texto, o que deixa os em volta com cara de pena de você, "tão novo e já faltando parafuso...". Veríssimo é sempre uma leitura que vale a pena, boa pra esquecer os problemas, animar um pouco. Mas "A mesa voadora" já é castigo demais pra uma pobre alma feito a minha. Os malvados reuniram umas ótimas crônicas do Veríssimo que falam sobre gastronomia. Gastronomia, imagina só. Um escritor bom desses ainda é bom de garfo...
Nas 47 crônicas escolhidas o autor conversa sobre suas preferências, desde pastel de beira de estrada às chiques iguarias dos restaurantes franceses, e fala de passeios pela velha Europa e pela América (a de cima e a nossa mesmo). Mas afirma logo que não cozinha nada, só entende as receitas a partir da etapa que leva a comida pra mesa.
O jeito tão simples de escrever (e não simplório, claro, mas isso você já sabe) faz de Veríssimo um dos melhores cronistas do Brasil e um potencial participante da lista "com quem eu sentaria pra um choppinho", criada pelo próprio.
Nessas memórias paladares o Veríssimo dá até dicas de como sobreviver ao inferno da vida moderna, o buffet, e sair de lá bem alimentado (com o que havia de melhor, claro). E não podiam faltar suas insurreições contra a salsinha, o verdinho que adorna o prato e ocupa o lugar da comida. Impossível não se sensibilizar com a tristeza do gaúcho pela falta do bar perfeito na sua Porto Alegre, pelo menos por uns dias, pra depois ter do que sentir falta.
Mas a esperança vive sempre, e apesar das birras dos garçons - que somem como se tivessem ido visitar a família ou jantar no restaurante ao lado -, Veríssimo mostra como é possível desfrutar de um jantar tão bom que deixa mais bonitos os arredores do restaurante. Definitivamente a melhor coisa do gênero. Ou, como diria o tal gaúcho, eu que estou andando com a turma errada...

SERVIÇO:A Mesa Voadora’, livro de Luís Fernando Veríssimo, 153 páginas, Editora Objetiva.

Nenhum comentário: