Guaramare


Quando as lendas são verdade

Pairava por Vitória uma lenda de que existia um restaurante em Guarapari que não tinha cardápio. O cara olhava pra sua cara, dizia que você ia comer peixe, você comia, e no final pagava o que quer que ele lhe dizia para desembolsar. Um amigo meu queria juntar uma grana preta e sair à caça do tal restaurante, ver se achava. Acontece que ele me achou primeiro.
Buscando um lugar pro almoço de domingo, lá estava, Guaramare. Um barco enorme na fachada, e dentro, uma graça. A decoração meio kitsch dá cara de casa de tia, tem lareira, garrafas pela parede, até varal de guardanapo lá atrás tem.
E aí vimos o cara, Vicente Bojoviski. O Seu Vicente passeava pelas mesas, comendo das travessas, batendo papo. Veio até a gente: " E então, hoje vocês vão comer o quê? Peixe?". Paella, decidimos. "Come paella então. Daqui a pouco eu chamo vocês". Chamou pra gente ir lá na cozinha ver como fazia. Ele foi ensinando, conversando, contando que é da Macedônia, morou na França, que não gosta da paella da Espanha, prefere essa, que ele adaptou. Faz um refogadinho cheiroso, a manteiga e o azeite estalando na panela, vai colocando as coisas de olho, sem medir. Lula, polvo, arroz já cozido, curry (?!), açafrão. Uns camarões grandes e metades de lagosta.
"Quando fica pronto até eu me encanto com a beleza do prato", sorri, o bigodão branco de moldura. E a gente aplaude, fazer o quê. Mais cedo uma mesa vizinha recebeu a maior frigideira do universo com dois peixes gigantes numa caminha de sal e meia dúzia de lagostas cortadas na metade. Aplausos, claro, aplausos dos integrantes da mesa sortuda e dos vizinhos de olho comprido.
Que delícia. A paella do Seu Vicente é mesmo muito boa, daquelas que deixa a gente desejando ter mais estômago. Não é à toa que o Guaramare foi eleito pelo Guia Quatro Rodas 2004 o melhor restaurante de pescados do Brasil.

A surpresa do final já não é tão boa. "Miserável não vem aqui", conta o chef do bigode. Melhor não ir mesmo, que a conta vem grandona. Mas nem dá pra reclamar, porque a comida e o papo do Seu Vicente são dos melhores. A gente vai embora alegre, o sotaque da Macedônia ecoando: "Bom é contar história, se divertir. E ganhar um troquinho pra pagar as dívidas, né?". Tá certo, Seu Vicente, tá certo...



SERVIÇO:
Guaramare
Rodovia do Sol para Achieta, Km 65 - Nova Guarapari - (27)3272-1300
Abre para jantar a partir de 20h. E pro almoço de domingo às 13h.

2 comentários:

Anônimo disse...

Gostaria de parabenizá-la pela excelente matéria a respeito do Restaurante Guaramare. Sou amigo íntimo do Vicente e há muito procurava fatos ou coisas que retratasse o meu grande amigo. Você acertou em cheio. Muito bom, excelente; tão bom que o próprio Vicente riu e se viu naquelas suas palavras.
Aproveitei e fiz um passeio no "blog" e achei tudo muito legal. O único problema é que dá uma vontade tremenda de comer tudo o que você comenta. Não há regime que agüente!!!
Parabéns mais uma vez!
Alexandre Martins

Anônimo disse...

O seu texto está simplesmente fantástico Joana, muito bom mesmo. Sou a jornalista responsável da revista WelcomeCard, publicação que sempre conta com uma história ou uma nova receita do Vicente Bojoviski, do Guaramare, que é um amigo e parceiro da equipe da revista de longa data.
Eu particularmente não conheço a casa, nem o Vicente pessoalmente, apenas por telefone, só fico com água na boca a cada matéria que reviso. Mas a riqueza de detalhes e o envolvimento do seu texto aguçaram ainda mais minha curiosidade...
O próximo texto é sobre o cardápio do Guaramare (?), numa narrativa fantástica do Vicente. Resolvi pesquisar mais sobre o restaurante na net e vim parar aqui! Que bom que encontrei seu texto, pois foi uma ótima ajuda.
Se quiser conferir o material será publicado na próxima edição, em junho.
Um abraço, e mais uma vez parabéns!

Carol Perim