Bebemorando o fim do ano

Brindar no dicionário é beber ou pedir que se beba à saúde de alguém, ao bom êxito de alguma coisa ou simplesmente para comemorar. Brindar no final do ano é oficializar que o tempo está passando, que vivemos novas experiências, que estamos satisfeitos com o que passou ou esperando que o próximo ano nos trate melhor.
Brindar também é, depois de comer, a atividade física mais importante desta época. Neste momento propício, de passagem, o brinde representa a alegria de se estar junto, a esperança de que tudo vai melhorar e que os momentos felizes vão se tornar cada vez mais freqüentes.
Para você não se sentir enganado, anote o seguinte: a bebida dessa época é o espumante. Ele tem vários apelidos, codinomes, mas no fundo é tudo ele. Dá uma olhada aí embaixo e entenda a (não)diferença. No mais, tome cuidado para não acertar a cabeça de alguém com a rolha, gele bem a garrafa e encha a taça. Só não exagere muito, que bêbado não deixa de ser chato só porque é Natal. Feliz Natal, meu povo, e um feliz ano novo. Ano que vem a gente fala mais bobagem.


Espumante: Nome genérico dos champanhes. Um prosecco também é um espumante.
Champanhe: É um vinho espumante produzido na região de Champagne, na França. Legalmente, somente os vinhos daquela região podem ser denominados assim. É feito com três uvas: um branca e duas tintas sem casca. A fermentação (processo champenoise) é feita dentro da garrafa.
Cremant: É o nome que se dá ao espumante produzido dentro da França, fora da área de Champagne.
Prosecco: É um vinho espumante feito da uva prosecco, geralmente oriunda da Itália (região do Vêneto). O método de fermentação de um prosecco, que se chama charmat, é feito em barris.
Cava: Nome que se dá aos espumantes espanhóis.
Cidra: Espumante feito de maçã.
Frisante: É um vinho com espuma. O frisante passa por uma só fermentação, momento em que se dá a apreensão do gás carbônico.



Nenhum comentário: