Buenos Aires



Muita comida e poucos pesos

Buenos Aires é capital gastronômica renomada. Come-se bem, e muito, por um punhado de pesos que mal dá para comprar um pratinho nos self-services do Brasil. A aprovação dos turistas é imediata – eles até arriscam falar ¡riquisimo! que, em castelhano, quer dizer delicioso.
As massas frescas, impecáveis, são uma homenagem aos imigrantes italianos que há décadas desembarcaram no turístico La Boca. Mas o rei da mesa é mesmo o asado: carnes macias servidas no ponto perfeito de cocção, presente em quase todas as esquinas da cidade.
Na hora da sobremesa, a pedida é o sorvete, outra herança da grande bota. Há ainda os famosos alfajores, recheados generosamente com o clássico doce de leite.
E, para acompanhar, dê prefêrencia aos vinhos – uma boa dica é o encorpado Malbec, proveniente da vizinha Mendoza, bom e mais barato que água nos restos e bares da cidade.
Dicas para comer e beber bem em Buenos Aires existem muitas. Confira algumas: fettuccine com cogumelos no Gardelito; bife de chorizo (contra-filé), asado de tira (costelas) e bife de lomo (filé mignon); e espaguete com caviar no Brocolino.
Destaque, também, para as empanadas saboreadas em pé enquanto se assiste aos tangueiros da Boca; um gole de uma das 60 vodcas do Olsen; uma taça de Malbec no Club del Vino; batata frita com cerveja Quilmes para encerrar a noite no Acabar; o indefectível helado sabor dulce de leche, na Freddo; e o alfajor onipresente da Havanna.
Tudo isso é servido com cuidado e atenção tais que fica impossível estar em Buenos Aires e não pensar como seria se a nossa capital, Vitória, fosse mais bem preparada para receber os turistas. Apesar de serem simpáticos em qualquer situação, é na mesa que os porteños revelam sua alma – eles adoram sugerir pratos e drinques e se preocupam, em primeiro lugar, com o bem-estar do cliente.
Quer um exemplo? A proprietária de um restaurante local insistiu em me servir alguma coisa para comer até que eu confessei que já tinha almoçado. "O quê?", ela quis saber, talvez na esperança de que tivesse sobrado um espacinho no meu estômago. "Ternera con papas, cordeiro com batatas", respondi. "Ah! Assado?". "Sim", disse. "¿Rico?", ela. "¡Riquisimo!", eu. Ela me sorriu e se deu por satisfeita. Coisas de Buenos Aires.

Onde comer

Acabar – bar com decoração divertida e bebidas interessantes. Fica na C. Honduras, 5733, Palermo Hollywood. (5411) 4772-0845.
Brocolino’s – comida italiana da melhor qualidade. Fica na esquina das ruas Cordoba e Esmeralda, Retiro. (5411) 4322-9848 e 4322-7754.
Cabaña Las Lilas – churrasco do bom. Fica na Avenida Alicia Moreau de Justo, 516, Puerto Madero. (5411) 4313-1336.
Club del Vino – cozinha tipicamente argentina e adega caprichada. Fica na C. Cabrera, 4737, Palermo Viejo. (5411) 4833-0048.
Freddo – sorveteria. Vários endereços. Informações: www.freddo.com.ar.
Gardelito – cantina italiana. Fica na C. Thames, 1914, Palermo Soho. (5411) 4777-8338.
Havanna – doceria e café. Vários endereços. Informações: www.havanna.com.ar.
Olsen – Cozinha escandinava e vodcas. Fica na C. Gorriti, 5870, Palermo Hoolywood. (5411) 4776-7677.



Nenhum comentário: