Dos queijos azuis

Dia desses engatei numa discussão sobre a diferença entre roquefort e gorgonzola. * Pausa para você achar absurdo alguém discutir tal coisa* Eu não gosto, e provei só pra poder dizer isso com autoridade, então já comecei a discussão na desvantagem. Acabado o papo, eu fui pesquisar. E descobri que, óbvio!, estava redondamente enganada na minha crença na similaridade dos dois queijos embolorados. Só se parecem na idade avançada e na origem, que aconteceu por acaso.
O Roquefort, esse à esquerda, é francês, do sul, e feito com leite de ovelha cru. Os veios são verde-azulados e vêm do penicillium roqueforti. É suntuoso, úmido e bastante quebradiço.
A lenda diz que um pastor de ovelha ia comer seu pão com queijo dentre de uma caverna, mas largou o lanche lá para ir atrás de uma menina bonita que passada. Tempos depois lembrou do lanche, e viu que o queijo tinha ganhado uma coloração diferente. Comeu de doido que é e descobriu o roquefort (veja mais aqui e aqui).
Já o gorgonzola, à direita, nasceu no norte italiano do leite das vaquinhas. É cortado por veios de mofo que vão do cinza ao azul, obtidos pela presença da penicillium glaucum. Apesar de ser menos gorduroso que seu parente francês, o gorgonzola tem textura mais cremosa, e pode apresentar sabor mais doce ou picante de acordo com método de fabricação, tipo de mofo e quantidade de sal.
Daonde ele veio é motivo de controvérsia. Já contaram uma história parecida com a do roquefort. Já disseram que certa vez as vacas deram leite demais, e os queijos não saíram tão rápido quanto deveriam, ficando mofados e "gostosos". E tem a versão do Alecrim, que vale a pena ver só pela diversão.
Depois eu me lembrei de um outro espécime que provei: o Stilton inglês, aí à esquerda. Esse senhor britânico é igualmente feito com leite de vaca e penicillium glaucum, mas é mais suave e menos cremoso que seu irmão italiano. Ele também vem na versão mulherzinha, chamada White Stilton, que tem frutinhas na massa, como raspas de limão ou cramberries.
Dúvida esclarecida, vamos todos comer e pronto. Mas deixem o grana padano pra mim, certo?

2 comentários:

Aline Neme disse...

Hummmm... adoro os queijinhos "mofados" hehehehe... parece coisa de doido mesmo comer um queijo com mofo... antes não comia de jeito nenhum, achava uma insanidade, depois parei para pensar e percebi que comemos uma série de derivados do leite que estão, digamos, "estragados", o próprio iorfute e a coalhada... aí pensei, sinal que faz bem... hehehehe

Pena que os queijos estão com preço pela hora da morte!

bjundas

joana pellerano disse...

hehehe pois é, os queijos que podem de matar estão pela hora da morte.
e o queijo inglês que eu provei era tão curado (ou seja, tão antigo), que eu até saí meio tonta. os fungos já eram alucinógenos à aquela altura...