Super Mega Blaster Top Chef

Já contei que adoro reality shows e afins. Se envolver comida então, já era. Então, óbvio, sou fã assumida de Top Chef, e acompanho todas as temporadas pela internet, torcendo para chegar logo a Restaurant Wars, prova que põe o povo pra abrir um restaurante em um dia.
Mas aí a Bravo resolveu fazer o Top Chef Masters. Toda semana, quatro chefs famosos (mesmo que só no Estados Unidos) passam por dois desafios. O campeão, com mais estrelas (dadas por convidados especiais e por mega críticos, incluindo Gael Greene, de quem eu vopu falar logo logo), volta pra uma grande final. Os prêmios são doações para uma instituição de caridade à escolha do chef.
Parecia um pouco bobo. Primeiro que não tem Tom Colichio, o chef jurado mais legal da história. Depois que não tem a Padma; adotaram uma outra apresentadora/elemento étnico, a Kelly Choi. E eu pensei logo que caras tão bons iam morrer de rir dos desafios.
Mas que nada. os chefs sofreram, viu? O primeiro Quick Fire, desafio mais "simples", foi fazer sobremesa para as escoteiras, famosas nos States pelos biscoitos que vendem. Depois, tinham que cozinhar em um dormitório de universidade usando uma trempe, microondas e forninho.
Tim Love, o chef-caubói (primeiro à esquerda), congelou sem querer todos os seus ingredientes, e quebrou o galho com carpaccio de vieira e um cozidão. Hubert Keller, o chef francês cabeludo, cozinhou macarrão e foi drenar a água no chuveiro. Levou a melhor e volta na final.
Um deles definiu tudo como um grande exercício de humildade. Eles tinham que se virar sozinhos, sem sous chef pra fazer o trabalho sujo, sem suas cozinhas bem equipadas e em tempo recorde. Divertido e por uma boa causa, quem precisa de mais?
Hoje à noite tem mais. E um mais imperdível. Em uma das provas os chef vão cozinhar pors roteiristas de Lost usando apenas comida que pode ser encontrada na ilha. Será que manga e enlatado Dharma dá samba?

To be continued...


Nenhum comentário: