Quindins e brilho no olho

Uma vez ouvi uma chef famosa dizendo que contrata cozinheiro com base no brilho no olho. Achei poético demais pro meu gosto. Mas entendi o conceito recentemente. Virei poética demais pro meu gosto?
O fato é que não sou de pedir dicas de restaurantes, bares e afins, mas recebo muitas, muitíssimas. Acho que tem na minha cara a estampa "onde posso comer mais e melhor?". Inevitável. Geralmente é mesmo o que eu estou pensando, E recebo essas dicas-surpresa com muita alegria. Mas não aceito todas. Não costumo ouvir gente que não come sushi e steak tartare, que tira o miolo do pão, que não aceita sobremesa, gente que não gosta de comer. Aceito dicas com base no brilho no olho. 
Dia desses um quase colega de trabalho me recomendou um quindim. Disse ser o melhor de São Paulo, disse não gostar de nenhum outro quindim. E dessas máximas eu desconfio sempre. Mas, quando prestei atenção, lá estava ele, escondido: o brilho no olho. Aí não pude resistir.
A casa do quindim brilhador de olhos chama Alice Quindins. É um lugar feio, com muro amarelo, placa escondida, um beco e uma porta de ferro impedindo a passagem, com campainha do lado. Desconfiável. Mas logo veio uma mocinha de branco que me alcançou um quindim desacompanhado. Cremoso, tão leve quanto um doce que leva três toneladas de gemas e açúcar pode ter. Diferente do quindim de Pelotas, minha referência eterna no assunto, mas bom, uniforme, sem grãos de açúcar pra interromper e crostas queimadas demais pra atrapalhar.
Aí já era, meus amigos. Descobri que a fome não é de nada. O melhor tempero, nessa vida, é o brilho no olho.

8 comentários:

Marcella Andrade disse...

Putz, que quindim lindo e que história poética. Sim, o brilho no olho pode mudar tudo. E eu, que nem gosto de quindim, fiquei com vontade de provar.

Maria disse...

Gostei do texto, Joana. E concordo, o brilho no olhar é das coisas mais sinceras e vibrantes que podemos apreender do outro.
Beijo e obrigada pela dica. Vou provar, claro!

Luciana disse...

Jô, eu sou como você: não acredito em palpite gastronômico de qualquer um. Especialmente daqueles que "adoram" margarina e não passam sem adoçante. Argh! Mas este quindim aí tá com uma cara ótima, acho que a dica foi boa! :) bjss

joana pellerano disse...

Meninas,
Confiram quando puderem, vale a pena. Podem me chamar que eu vou de acompanhante :o)
Um abraço.

roberta malta disse...

é o único que eu como também! a-do-ro.

joana pellerano disse...

Roberta,
E você provou de todos, não? :o)
Abraço.

Thayra Azevedo ♥ disse...

Ei Joana, tudo bem? Passei para desejar bom domingo. Te agradecer por estar me ajudando com as ideias para a monografia. Estou adorando. Em breve entro em contato com você. Abraços Thayra

joana pellerano disse...

Thayra,
Gostaria de poder te ajudar mais, isso sim :o)
Um abraço.