Horta em casa

Ter manjericão, alecrim, tomate ou pimenta dedo-de-moça fresquinhos e à disposição na hora de cozinhar não tem preço. Foi por isso que eu tentei fazer minha primeira horta em casa. O manjericão cresceu loucamente, quase me expulsou de casa, uma beleza. Desde então, com mais ou menos sucesso, venho cultivando minhas plantinhas.
O bom é que as hortas caseiras não precisam de muito espaço, nem de complicadas técnicas de cultivo. Basta um cantinho ensolarado (pode ser terraço, quintal, varanda ou área de serviço), um pouco de terra, adubo e água para libertar o menino do dedo verde que vive em você.
Quem não tem um quintalzinho em casa pode começar escolhendo vaso, jardineira ou cachepô com furinhos no fundo, para facilitar a drenagem da água. Para um trabalho mais profissa vale colocar pedrinhas ou argila estendida no fundo do recipiente e cobrir tudo com um pedaço de bidim, manta de poliéster encontrada em lojas de produtos para jardinagem que mantém a terra isolada das pedras. Depois é encher com terra adubada, vendida também nessas lojas.
A partir daqui o processo é o mesmo para os com ou sem terra: escolher as sementes ou mudinhas. Hoje a gente acha temperos no supermercados já em vasinhos. É menos angustiante e trabalhoso do que esperar a semente crescer, mas é preciso replantar. O manjericão é guerreiro e aguenta bem. Outras escolhas acertadas são, salsa, cebolinha, hortelã e alecrim.
Para que a horta cresça forte e bonita deve pegar umas horinhas de sol por dia, morar em terra úmida (nem seca nem encharcada) e ser bem alimentada periodicamente com adubo. É muito fácil fazer sua própria mistura (quem me ensinou foi a mãe da Melissa). Pegue uma garrafa pet, corte a parte de cima e encha com camadas intercaladas de terra e de matéria orgânica. Reaproveite aquelas folhas mais murchinhas de alface, casca de fruta ou legume, casca de ovo quebradinha, pó de café já coado. Sempre mantenha uma camada de terra cobrindo tudo. Aos poucos você percebe que tudo se tranforma numa coisa só, e aí é hora de misturar a sua compostagem com a terra das plantas.
É o máximo correr na horta e deixar o frango sem graça com cara de restaurante, ou o refogado mais interessante antes de saltear um batata. Faz a sua hortinha que você vai ver. Conversamos depois do seu próximo pesto...

Um comentário:

joana pellerano disse...

E ó o povo inventando moda com as hortinhas caseiras: http://www.windowfarms.org/#pages/kits.html