Geleiando

Os morangos estão à espreita. Viro a esquina e lá estão eles, de olho. Atravesso a rua e, de um caminhão, uma outra gangue me encara. Como estão em maior número e sua madurez ameaçadora falou alto a meu coração, não resisti, comprei. Mas comprei com gosto, como só se faz com frutas de época que custam barato e dominam o mundo. E de repente tinha um milhão de morangos às vésperas de virar adubo na minha geladeira. O jeito, então, foi fazer geleia.
Nunca tinha feito geleia na vida. Mas só a internet salva nos momentos do nunca fiz. Achei uma receita muito simples, mexi aqui e ali, inventei uma modinha e, algumas horas depois, tinha uma casa cheirosa e um estoque de geleia de morango tradicional, com gengibre e com alecrim.
Se você nunca fez geleia na vida, vá por mim: é absurdamente fácil. E o café da manhã anda me agradecendo horrores...


Geleia de morango com invenção de moda
Rendimento: Uns 450g

Ingredientes: 
600g de morangos lavados e sem cabinhos
1 xícara de açúcar de confeiteiro (vale cristal ou demerara, mas acho que o mascavo altera muito o gosto da fruta)
1 colher de café cheia de gengibre ralado ou de alecrim picadinho (opcional)
2 colheres de sopa de vinagre balsâmico (também vale suco de limão)

Preparo:
Misture morangos, balsâmico e açúcar em uma panela de fundo grosso. Se gosta da geleia mais uniforme, dê uma boa amassada nos morangos com uma colher de pau. Se prefere pedaçuda, apenas misture tudo com cuidado. Coloque a panela na geladeira e esqueça dela por umas duas horas.
Depois da pausa, leve a mistura para o fogão. Quando começar a ferver, abaixe o fogo e mexa sem parar por uns 30 minutos. O cozido forma uma espuminha em cima: se quiser uma geleia mais límpida, retire.
Quando der a meia hora retire do fogo e misture gengibre ou alecrim, se quiser. Deixe esfriar um pouco e coloque em potes de vidro que passaram por água fervente com suas tampas. Geladeira e pão resolvem o resto.

PS - Há muitas dicas bacanas sobre geleias e conservas a um bom e velho Google de distância. Você pode começar por aqui.

Nenhum comentário: