Mosca na sopa

No Brasil inseto é sinônimo de inseticida. Mas em breve pode passar a ser farofa, bolinho, estrogonofe. O empresário mineiro Luiz Otávio Pôssas Gonçalves fez recentemente um pedido formal ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para legalizar a venda dos insetos que produz como alimento. A solicitação meio incomum acendeu um debate que acontece há décadas nos subterrâneos da gastronomia nacional: por que não comemos mais insetos?
A prática de alimentar-se de insetos (ou entomofagia) é mais comum do que se imagina. Existem registros desse hábito em 36 países africanos, 29 asiáticos e 23 americanos. Na Tailândia, mercados exibem cestos cheios de larvas e besouros criados para consumo. Já no México um lanchinho bem popular são os "chapulines" - crocantes gafanhotos assados com um toque de limão e pimenta. Entre os indígenas brasileiros, a farofa de içá ou tanajura, a fêmea da saúva, é uma iguaria.
Além de (potencialmente) gostosos, os insetos fazem bem para a saúde. Uma porção de 100 gramas de lagartas africanas pode conter até 53 gramas de proteína, mais do que se encontra na mesma quantidade de frango. Na composição existe em média 17% de carboidratos e 15% de gordura, além de minerais como ferro, cálcio e potássio.
E, vejam só, comer insetos pode ser a atitude ecologicamente correta da vez. Depois de adotar a ecobag e comer orgânicos, trocar a carne por um desses bichinhos pode entrar na moda. A mesma razão que faz dos insetos uma praga difícil de exterminar pode dar um alívio no aquecimento global: eles não precisam de muito para sobreviver, ao contrário de uma vaca ou um porco.
A Universidade de Wageningen, na Holanda, tem pesquisas que mostram que a criação de insetos emite bem menos gases do efeito estufa que a pecuária. Uma fazenda de gado de corte emite 10 vezes mais metano e 300 vezes mais óxido nitroso que uma criação de gafanhotos.
Fricassé de lagarta, tão servidos?




2 comentários:

horticasa disse...

Pode até ser que os insectos sejam bons de toda a maneira e bons também para melhorar o ambiente, mas por favor não me digam que são insectos.
Se forem nem preparados e saborosos, como na maior.
eugénia

joana pellerano disse...

É, Eugenia, é estranho mesmo comer insetos. Mas há de se provar, né? :)