Madrugada comestível

A galinhada (foto: divulgação)
Oferecer atrações para todos os gostos a qualquer hora é um dos maiores atrativos de São Paulo.Sabe aquela piada do “o que você faz da meia-noite às 5h”? Por aqui, você faz coisa para caramba.Come bem, inclusive. Quem gosta de fazer aquela boquinha no meio da madrugada não precisa assaltar a geladeira ou apelar para sanduíche de trailer pós-balada: O Mercado e a Galinhada do Dalva e Dito vão salvá-lo do perigo.
O Mercado é ideia dos chefs Checho Gonzáles e Henrique Fogaça e nasce amanhã, dia 21. A feira será composta de 13 barraquinhas pilotadas por profissionais como Janaina Rueda (Bar da Dona Onça), Lourdes Hernandez (Casa dos Cariris) e Alexandre Leggieri (Cannoleria Casa di Dante). As receitas vão custar entre R$ 5 e 20.
A primeira edição d’O Mercado acontece de 0h às 5h no pátio do Sal Gastronomia (rua Minas Gerais, 350). A segunda edição já tem data marcada: será entre os dias 5 e 6 de maio em pleno Minhocão. Vai fazer parte da programação da Virada Cultural, evento da Secretaria Municipal de Cultura que anualmente oferece programação cultural gratuita durante 24 horas.
A Galinhada do Dalva e Dito (rua Padre João Manuel, 1115) é point há mais de ano. Geovane Carneiro, sub-chef de Alex Atala no D.O.M., costumava cozinhar a galinha no arroz para alimentar a brigada após o expediente. A receita foi fazendo fama e atraiu as brigadas vizinhas. Logo abriu-se a porta da frente e a galinhada é servida a quem quiser no meio do fim de semana, entre 0h às 3h de domingo.
O prato sai a R$ 39 por pessoa e cada um se serve na cozinha, escolhendo quanto quer de frango, arroz branco ou com pequi, quiabo, pirão e farofa.
Melhor pular a feijoada de sábado e começar a cochilar agora mesmo...

Nenhum comentário: