Turismo de supermercado

Foto: European Supermarket Magazine
Vou pular a parte em que eu comento o quanto gosto de viajar, como o sair de casa e enfrentar o novo (mesmo que seja velho conhecido) é um carregador de baterias gigante e necessário. Vou direto para minha dica de viagem preferida: o ponto turístico mais imperdível de qualquer país, estado e cidade é o supermercado.
Há quem entenda que paisagens, museus e outlets sejam mais negócio. Mas até a esses eu digo que vale a pena guardar umas horinhas do passeio para explorar as gôndolas alheias.
No supermercado o turista transcende seu status de “outro” e passa a pertencer, ainda que um pouquinho. Podemos não saber o que significam os rótulos, ou entender se os preços estão altos ou baixos, mas, carrinho em mãos, somos locais e não damos nenhuma bola para qualquer estrangeiro.
E não precisa ser supermercado chique. Um dos meus preferidos na Europa é o Lidl. É tipo aquele cara com quem você sairia se suas amigas nunca viessem a saber. É alemão, feio, bagunçado, às vezes sujo, mas é uma das melhores opções na Europa para compradores sem orçamento.
Mas é preciso estar preparado. O Lidl não segue a lógica brasileira que coloca batata palha no corredor dos pães de cachorro-quente. Leite, linguiça, vinagre e sopa de pacotinho compartilham a mesma prateleira. E são produtos oriundos da longínqua e misteriosa Europa Oriental, e a maioria dos rótulos tem palavras com cinco consoantes e só uma vogal. Mas o brie custava um euro na minha última visita. Um euro!
Já nos Estados Unidos você me acha no Walmart. Cada loja é tão grande que tem planetas orbitando ao redor. Isso além dos milhares de cosméticos, gadgets, comidinhas, utensílios de cozinha. Tudo que você sempre sonhou, aquela coisinha impossível que um dia pipocou na cabeça e te fez pensar: "ah, se eu tivesse isso minha vida seria tão melhor...". Lá tem.
E é barato. Os preços são tão baixos que dá vontade de contratar um container e encher de frigobar, equipamentos para pesca e máquinas que embalam a comida a vácuo.
Taí minha dica para o feriado, caso você tenha chance. Eu, particularmente, acharia um programão.

2 comentários:

silvia disse...

e eu que pensava que a minha vida era um supermercado!!! rsrsrs...prazer em conhecê-la...cheguei aqui pelo cozinha de idéias e sigo a dadivosa faz tempo... bjs e sorte!!

Joana Pellerano disse...

Oi, Silvia. Muito prazer! :)