Clara, claro

É comum pensar que o vinho é a bebida preferida dos espanhóis. Mas no verão, que ainda está esquentando as cabeças por lá agora mesmo, isso é só meia verdade.
Quando o calor bate mais forte os delicados macabeos e tempranillos somem das mesas dos bares. Nessas horas quem molha a garganta depois da tapa de jamón é a clara, mistura de cerveja e limão.
A clarita não é só cerveja com limão dentro. Pode ser com água tônica, suco de limão ou refrigerante de limão, o que deixa a cerveja, ahn, clara! E é servida geladíssima, o que não é costumeiro para cervejas europeias.
Com essa receita campeã de duas partes iguais de refrescância, vira rainha dos botequeiros no verão e estrela dominante das mesas de todo o país. A desculpa é que a cerveja - que lá é muitíssimo mais encorpada que a nossa - é forte demais para o calor, e precisa ser diluída um pouquinho para ficar mais verano.
Entendo que você ache isso estranhíssimo. Eu também achava, sabe? Os brasileiros, ainda que campeões nas misturas escalafobéticas - o whisky com energético não me deixa mentir -, costumam achar um horror. Mas depois do meu primeiro gole foi clara para todo lado, o tempo todo. E eu gostava da menos "natural", com refri mesmo: uma bebida nada encorpada, com aroma de Redoxon e leves reflexos verde fosforescente.
Anote no caderninho se for viajar para lá: além de clara, o nome varia com menos frequência para shandy e champú, dependendo da localidade e do humor do dono do bar. Se for ficar por aqui mesmo, vale testar a receita meio a meio, coisa muito fácil. Mas o sucesso para a versão refrigerante depende, na minha opinião de clareira, de Fanta Limón. Infelizmente, andamos sem, e assombrados por uma de maracujá...




Um comentário:

wair de paula disse...

Nossa, não tomo isso há anos...boa lembrança. Abraços!